ComendoPipoca #03 – Violet Evergarden e as relações humanas

Desde quando me interessei pelos animes e mangas, principalmente pelos mangás, a ilustração sempre me chamou muita atenção pela riqueza dos detalhes. Isso também me prendeu nas produções dos filmes japoneses, junto com as cores e como cada uma delas se encaixa perfeitamente na emoção representada no momento/cena em que elas são usadas. Nada no design do desenho japonês soa em vão, soa descuido, é tudo emocionalmente muito bem feito!

Vagando pela Netflix, entre os animes, Violet Evergarden me chamou atenção e eu por um acaso comecei a assistir e descobri posteriormente que é uma adaptação de uma light novel, que ganhou um prêmio na Kyoto Animation Awards de 2014 (se você não conhece o termo light novel, são publicações de romances, de fácil leitura). O anime conta a história da jovem Violet, que sobreviveu a uma guerra após lutar nela e agora busca o sentido da vida, de entender de fato o que significam as emoções. Violet foi entregue ao Major Gilbert Bougainvillea para ser usada como ‘arma humana’ durante as batalhas, porém Gilbert a reconhece e a trata com igualdade. A guerra, apesar de ser um grande conflito, passa a ser a única forma de união que Viloet conhece. Obedecer a regras para ela, seria o mesmo que manter uma amizade ou uma relação de respeito com alguém. 

Violet Evergarden

Violet é uma ex combatente, ela foi treinada para combater, lutar, matar, sem demonstrar nenhuma sensação emocional. A vivência da guerra é a única que ela tem como referência, o que faz com que a jovem nem se quer conheça ou saiba, o que significam determinados sentimentos. A guerra acaba e Violet encontra-se sozinha, seu último momento com o Major Gilbert (ainda em batalha) foi basicamente uma despedida, ambos estavam feridos e ele mais do que ela. Nada tem muito valor pra Violet sem Gilbert por perto, lhe dando ordens, mas seguindo o último pedido dele, ela precisa viver e seguir em frente. Ela precisa buscar sentido nas últimas palavras que ele disse para ela antes de fato deles se separarem: “eu te amo”.

Japão pós-guerra

Podemos dizer que o Japão se reconstruiu de forma invejável após ser bombardeado pelas bombas atômicas durante a segunda guerra. Eu acho que a tragédia ela foi absorvida pelos japoneses não só na dor, mas em uma visão de perseverança futura, muito grande. É um povo que aprendeu sobre amor, sobre respeito e inúmeros sentimentos de empatia porque sofreu pela falta disso. Assim como a Alemanha que pós Nazismo, aprendeu a ser diferente disso, a propagar as coisas boas e a noção de sociedade pacífica que o nazismo destruiu. Em Violet Evergarden a gente tem a junção dessas duas realidades, desses elementos de sociedades pós-trauma, que refletem e de certa forma criam a personagem principal, a Violet.

Detalhes

A produção traz bastante detalhes visuais, pra quem curte o trabalho de cores que eu citei anteriormente, esse anime é perfeito. Alguns episódios têm até partes que ficam mais lentas porque é necessário parar e observar a paisagem, os reflexos, tudo isso agrega muito no quesito emocional do roteiro. Ilustrações das publicações são do Akiko Takase (tem trabalhos relevantes no mercado das produções japonesas) , que também colaborou para a criação dos personagens no anime, deixando bem fiel em termos de visual.

Eu não li a publicação original inicial (quero ler inclusive), como eu disse a produção pra televisão foi baseada em uma light novel, mas pelo que pesquisei eles mudaram alguns rumos da história ou seja tem diferença da novel pro anime. Pelas opiniões que eu ouvi, as mudanças pro anime foram bastante positivas, eles deram embasamentos a todas elas e tudo se encaixou perfeitamente na história.

Outra coisa que me chamou muita atenção foi a trilha sonora. Acho que a trilha faz muita diferença na percepção de uma produção visual, essa última temporada de Game of Thrones foi fantástica pra entender isso e da de exemplo. As cenas em silêncio (no caso aqui a falta de trilha, mas que conta como trilha), diziam tanta coisa, medo, suspense, o inesperado que viria na batalha seguinte, etc. Em Violet Evergarden a trilha soma demais nos episódios, elas casam muito bem com a leveza das cores, elas são totalmente emocionais.

Finalização

Então pessoal, é isso. Violet Evergarden é de 2018 conta com cerca de 13 episódios de 24 minutos, é distribuída internacionalmente pela Netflix. Fica ai essa primeira dica pra vocês assistirem e se apaixonarem, porque vale a pena e é um trabalho que além de muito bonito, é necessário porque a empatia e a compaixão andam em falta não é mesmo?